De outros

Ralph Brennan traz a culinária de Nova Orleans (e todos os seus chefs) para a James Beard House


No início desta semana, The James Beard House recebeu um dos mais renomados restaurateurs da América, Ralph Brennan, bem como chefs executivos de todos os seus restaurantes de Nova Orleans, para comemorar os 10º aniversário do furacão Katrina.

Chamada de “The Bounty of the Gulf”, a refeição apresentou os incríveis frutos do mar da Costa do Golfo. Os chefs envolvidos incluíam Slade Rushing, indicado ao prêmio James Beard, do carro-chefe Brennan's (que recentemente passou por uma reforma multimilionária e reabriu no ano passado), Chip Flanagan do Ralph's on the Park, Austin Kirzner do Red Fish Grill, Steven Marsella do Heritage Grill, Chris Montero da Napoleon House, Michael Uddo do Café B. e o chef de confeitaria corporativo Brett Gauthier.

“Esta é uma oportunidade muito especial de mostrar a generosidade do Golfo, que é a espinha dorsal da culinária de Nova Orleans”, disse Brennan à multidão reunida. “Depois do furacão Katrina e do derramamento de óleo mais recente, assumimos o compromisso de apoiar os pescadores da Costa do Golfo e expandimos nossos menus para incluir ainda mais frutos do mar do Golfo. Foi um voto de confiança. ”

A noite começou com aperitivos passados ​​que incluíam caviar de Bowfin da Louisiana, crepes de caranguejo azul gigantesco, croquetes de pernas de rã e rillettes de truta defumada, regados com xícaras de Pimm. Os comensais então subiram as escadas e foram tratados com uma refeição que começou com ostra da Louisiana escaldada no Chardonnay com molho de estragão, caviar e alface romana grelhada do chef Montero, seguida por um deslumbrante caranguejo crocante de casca mole da Louisiana com bisque de açafrão do chef Kirzner. Em seguida, veio uma "sagrada trindade" de camarão (camarão vermelho rubi em conserva com kimchi de casca de melancia, vadouvan de camarão com grãos de arroz quebrado e camarão branco do Golfo com molho de tomate crioulo), seguido pelo prato principal, pompano com tempero crioulo com abobrinha , siri azul e soubise, uma especialidade do chef Rushing. A refeição foi encerrada de forma deliciosa pelo chef Gauthier, que preparou uma torta de geleia de figo de Nova Orleans com figos frescos, bolinhos de noz-pecã e sorvete de folha de pêssego.

A refeição não foi apenas uma celebração da próspera generosidade do Golfo do México, mas também foi incrivelmente deliciosa e uma oportunidade maravilhosa de provar a culinária de alguns dos melhores chefs de Nova Orleans.


Brennan e # 039s nomeiam Ryan Hacker como novo chef executivo

Como você respeita o passado e tem um pé no futuro? Este seria o desafio para a maioria dos chefs que enfrentam a nova posição como chef executivo no Brennan's, o restaurante luxuoso de Nova Orleans com 75 anos de idade, de propriedade de Ralph Brennan e Terry White. Não neste caso, porém, como um membro valioso da equipe original e chef interino de seis meses, Ryan Hacker, recebe a distinta honra de assumir o papel. A partir desta semana, Hacker assume oficialmente o lugar de seu antigo mentor, Slade Rushing, que estava ao seu lado desde o início da reabertura de Brennan com grande espanto e alegria, 5 anos atrás neste mês. Ao assumir esse papel aos 35 anos, Hacker se torna o chef mais jovem a comandar a cozinha e o primeiro a ser promovido internamente na Brennan's. O restaurante recebeu notas altas do The New Orleans Advocate, The New York Times e Wine Spectator (entre seus muitos outros elogios, como James Beard Foundation Award Finalist por cinco anos). Hacker está ciente da pressão e já está tomando medidas para elevar a culinária distinta e ambiciosa do restaurante, respeitando o legado estimado de Brennan.

Mudanças já haviam começado a chegar ao menu de Hacker durante sua gestão com Rushing, começando com uma versão criativa de um dos pratos mais famosos de Nova Orleans, Blackened Redfish [um flashback de sua infância]. Agora é escaldado na manteiga com especiarias, cozido separadamente. Depois de preparar delicadamente a mistura de temperos, todo o peixe é revestido com ela e o sabor mantém o seu sabor pronunciado. Como a voz de confiança na cozinha nos últimos meses, a interpretação moderna de quenelles de Hacker, um clássico favorito dos franceses na cidade desde 1800, apresenta Quenelles de camarão com molho de churrasco New Orleans Style, Candied Lemon e Rosemary Dusted Crostini. “Não estamos procurando reinventar a roda quando se trata de pratos tradicionais e da culinária crioula, mas sim trocar seus pneus, atualizá-los e oferecer uma versão refinada que agrada nossos clientes locais em dívida com uma rica herança de Nova Orleans, como bem como sua próxima geração ”, diz Hacker.

Hacker começou a se interessar por cozinhar quando criança em Tyler, Texas, vendo o livro de receitas de Paul Prudhomme no balcão da cozinha na casa de sua avó para os jantares de domingo. Além da refeição em si, sua família incutiu nele o respeito pelo ato de jantar e a importância de se reunir em torno da mesa como uma família.

Hacker passou alguns anos estudando administração na Texas Tech University, mas tinha um desejo ardente de sair de trás de uma mesa. Hacker passou a frequentar o New England Culinary Institute e conseguiu seu estágio de seis meses no Hamersley’s Bistro em Boston, MA, onde ele começou a perceber seu caminho culinário em jantares finos. De um jovem que passou assistindo sua família cultivar vegetais em um acre de seus cinco na zona rural do Texas, tudo se encaixou: os fundamentos do cultivo de produtos frescos são semelhantes às filosofias de um restaurante premiado. Mergulhando na comida acessível do Chef Gordon Hamersley, fontes inteligentes e uma cozinha construída em torno do ensino - Hacker estava efetivamente participando de um programa de pós-graduação. Em seguida, o hacker começou a trabalhar com Kent Rathbun em Dallas, Texas. O hacker aprendeu a lição valiosa de que todo prato conta uma história e apresenta uma noção de tempo e lugar. A cruzada para trabalhar com chefs de diversas origens e líderes em suas áreas o levou a trabalhar com Andrew Weissman na Osteria Il Sogno. Ele credita a Weissman por ser o chef mais respeitado e influente em sua carreira em crescimento. Sua direção esteve para sempre incorporada ao estilo de cozinha do Hacker - uma abordagem limpa e esteticamente agradável para o prato, enquanto persuadia os ingredientes para apresentar os sabores mais colaborativos.

Nova Orleans foi o último lugar onde Hacker pensou que pousaria, mas quando o chef Slade Rushing lhe ofereceu uma posição que foi um desafio, ele não pôde recusar. A pressa foi fundamental para o sucesso de uma cozinha que começa quando o desenvolvimento do menu é iniciado com uma conversa entre a equipe.

Hacker é a escolha principal para liderar o estimado grupo de chefs experientes no Brennan's, mantendo uma forte reverência pela tradição e uma determinação em manter a autenticidade de todos os aspectos do restaurante, enquanto integra uma abordagem criativa e inovadora ao menu. “Ryan Hacker mostrou liderança na cozinha e sua culinária é criativa, baseada em ingredientes e baseada nos gostos e sabores da cultura local”, afirma Ralph Brennan e Terry White.

Venha neste feriado, Ryan tem um presente em sua "lista de compras" que é pessoal, e é ver sua família reunida ao redor da mesa que ele agora preside no Brennan's em Nova Orleans.


Brennan e # 039s nomeiam Ryan Hacker como novo chef executivo

Como você respeita o passado e tem um pé no futuro? Este seria o desafio para a maioria dos chefs que enfrentam a nova posição como chef executivo no Brennan's, o restaurante luxuoso de Nova Orleans com 75 anos de idade, propriedade de Ralph Brennan e Terry White. Não neste caso, porém, como um membro valioso da equipe original e chef interino de seis meses, Ryan Hacker, recebe a distinta honra de assumir o papel. A partir desta semana, Hacker assume oficialmente o lugar de seu antigo mentor, Slade Rushing, que estava ao seu lado desde o início da reabertura de Brennan com grande espanto e alegria 5 anos atrás neste mês. Ao assumir esse papel aos 35 anos, Hacker se torna o chef mais jovem a comandar a cozinha e o primeiro a ser promovido internamente na Brennan's. O restaurante recebeu notas altas do The New Orleans Advocate, The New York Times e Wine Spectator (entre seus muitos outros elogios, como James Beard Foundation Award Finalist por cinco anos). Hacker está ciente da pressão e já está tomando medidas para elevar a culinária distinta e ambiciosa do restaurante, respeitando o legado estimado de Brennan.

Mudanças já haviam começado a chegar ao menu de Hacker durante sua gestão com Rushing, começando com uma versão criativa de um dos pratos mais famosos de Nova Orleans, Blackened Redfish [um flashback de sua infância]. Agora é escaldado na manteiga com especiarias, cozido separadamente. Depois de preparar delicadamente a mistura de temperos, todo o peixe é revestido com ela e o sabor mantém o seu sabor pronunciado. Como a voz de confiança na cozinha nos últimos meses, a interpretação moderna de quenelles de Hacker, um clássico francês na cidade desde 1800, apresenta Quenelles de camarão com molho de churrasco New Orleans Style, Candied Lemon e Rosemary Dusted Crostini. “Não estamos procurando reinventar a roda quando se trata de pratos tradicionais e da culinária crioula, mas sim trocar seus pneus, atualizá-los e oferecer uma versão refinada que agrada nossos clientes locais em dívida com uma rica herança de Nova Orleans, como bem como sua próxima geração ”, diz Hacker.

Hacker começou a se interessar por cozinhar quando criança em Tyler, Texas, vendo o livro de receitas de Paul Prudhomme no balcão da cozinha na casa de sua avó para os jantares de domingo. Além da refeição em si, sua família incutiu nele o respeito pelo ato de jantar e a importância de se reunir em torno da mesa como uma família.

Hacker passou alguns anos estudando administração na Texas Tech University, mas tinha um desejo ardente de sair de trás de uma mesa. Hacker passou a frequentar o New England Culinary Institute e conseguiu seu estágio de seis meses no Hamersley’s Bistro em Boston, MA, onde começou a perceber seu caminho culinário em jantares finos. De um jovem que passou assistindo sua família cultivar vegetais em um acre de seus cinco na zona rural do Texas, tudo se encaixou: os fundamentos do cultivo de produtos frescos são semelhantes às filosofias de um restaurante premiado. Mergulhando na comida acessível do Chef Gordon Hamersley, fontes inteligentes e uma cozinha construída em torno do ensino - Hacker estava efetivamente participando de um programa de pós-graduação. Em seguida, o hacker começou a trabalhar com Kent Rathbun em Dallas, Texas. O hacker aprendeu a lição valiosa de que todo prato conta uma história e apresenta uma noção de tempo e lugar. A cruzada para trabalhar com chefs de diversas origens e líderes em suas áreas o levou a trabalhar com Andrew Weissman na Osteria Il Sogno. Ele credita a Weissman por ser o chef mais respeitado e influente em sua carreira em crescimento. Sua direção esteve para sempre incorporada ao estilo de cozinha do Hacker - uma abordagem limpa e esteticamente agradável para o prato, enquanto persuadia os ingredientes para apresentar os sabores mais colaborativos.

Nova Orleans foi o último lugar onde Hacker pensou que pousaria, mas quando o chef Slade Rushing lhe ofereceu uma posição que foi um desafio, ele não pôde recusar. A pressa foi fundamental para o funcionamento de uma cozinha de sucesso que começa quando o desenvolvimento do menu é iniciado com uma conversa entre a equipe.

Hacker é a escolha principal para liderar o estimado grupo de chefs experientes no Brennan's, mantendo uma forte reverência pela tradição e uma determinação em manter a autenticidade de todos os aspectos do restaurante, enquanto integra uma abordagem criativa e inovadora ao menu. “Ryan Hacker mostrou liderança na cozinha e sua culinária é criativa, baseada em ingredientes e baseada nos gostos e sabores da cultura local”, afirma Ralph Brennan e Terry White.

Venha neste feriado, Ryan tem um presente em sua "lista de compras" que é pessoal, e é ver sua família reunida ao redor da mesa que ele agora preside no Brennan's em Nova Orleans.


Brennan e # 039s nomeiam Ryan Hacker como novo chef executivo

Como você respeita o passado e tem um pé no futuro? Este seria o desafio para a maioria dos chefs que enfrentam a nova posição como chef executivo no Brennan's, o restaurante luxuoso de Nova Orleans com 75 anos de idade, de propriedade de Ralph Brennan e Terry White. Não neste caso, porém, como um membro valioso da equipe original e chef interino de seis meses, Ryan Hacker, recebe a distinta honra de assumir o papel. A partir desta semana, Hacker assume oficialmente o lugar de seu antigo mentor, Slade Rushing, que estava ao seu lado desde o início da reabertura de Brennan com grande espanto e alegria, 5 anos atrás neste mês. Ao assumir esse papel aos 35 anos, Hacker se torna o chef mais jovem a comandar a cozinha e o primeiro a ser promovido internamente na Brennan's. O restaurante recebeu notas altas do The New Orleans Advocate, The New York Times e Wine Spectator (entre seus muitos outros prêmios, como James Beard Foundation Award Finalist por cinco anos). Hacker está ciente da pressão e já está tomando medidas para elevar a culinária distinta e ambiciosa do restaurante, respeitando o legado estimado de Brennan.

Mudanças já haviam começado a chegar ao menu de Hacker durante sua gestão com Rushing, começando com uma versão criativa de um dos pratos mais famosos de Nova Orleans, Blackened Redfish [um flashback de sua infância]. Agora é escaldado na manteiga com especiarias, cozido separadamente. Depois de preparar delicadamente a mistura de temperos, todo o peixe é revestido com ela e o sabor mantém o seu sabor pronunciado. Como a voz de confiança na cozinha nos últimos meses, a interpretação moderna de quenelles de Hacker, um clássico favorito dos franceses na cidade desde 1800, apresenta Quenelles de camarão com molho de churrasco New Orleans Style, Candied Lemon e Rosemary Dusted Crostini. “Não procuramos reinventar a roda quando se trata de pratos tradicionais e da culinária crioula, mas sim trocar seus pneus, atualizá-los e oferecer uma versão refinada que agrada nossos clientes locais em dívida com uma rica herança de Nova Orleans, como bem como sua próxima geração ”, diz Hacker.

Hacker começou a se interessar por cozinhar quando criança, crescendo em Tyler, Texas, vendo o livro de receitas de Paul Prudhomme no balcão da cozinha na casa de sua avó para os jantares de domingo. Além da refeição em si, sua família incutiu nele o respeito pelo ato de jantar e a importância de se reunir em torno da mesa como uma família.

Hacker passou alguns anos estudando administração na Texas Tech University, mas tinha um desejo ardente de sair de trás de uma mesa. Hacker passou a frequentar o New England Culinary Institute e conseguiu seu estágio de seis meses no Hamersley’s Bistro em Boston, MA, onde começou a perceber seu caminho culinário em jantares finos. De um jovem que passou assistindo sua família cultivar vegetais em um acre de seus cinco na zona rural do Texas, tudo se encaixou: os fundamentos do cultivo de produtos frescos são semelhantes às filosofias de um restaurante premiado. Mergulhando na comida acessível do Chef Gordon Hamersley, fontes inteligentes e uma cozinha construída em torno do ensino - Hacker estava efetivamente participando de um programa de pós-graduação. Em seguida, o hacker começou a trabalhar com Kent Rathbun em Dallas, Texas. O hacker aprendeu a lição valiosa de que todo prato conta uma história e apresenta uma noção de tempo e lugar. A cruzada para trabalhar com chefs de diversas origens e líderes em suas áreas o levou a trabalhar com Andrew Weissman na Osteria Il Sogno. Ele credita a Weissman por ser o chef mais respeitado e influente em sua carreira em crescimento. Sua direção esteve para sempre incorporada ao estilo de cozinha do Hacker - uma abordagem limpa e esteticamente agradável do prato, enquanto persuadia os ingredientes para apresentar os sabores mais colaborativos.

Nova Orleans foi o último lugar onde Hacker pensou que pousaria, mas quando o chef Slade Rushing lhe ofereceu uma posição que foi um desafio, ele não pôde recusar. A pressa foi fundamental para o sucesso de uma cozinha que começa quando o desenvolvimento do menu é iniciado com uma conversa entre a equipe.

Hacker é a escolha principal para liderar o estimado grupo de chefs experientes no Brennan's, mantendo uma forte reverência pela tradição e uma determinação em manter a autenticidade de todos os aspectos do restaurante, enquanto integra uma abordagem criativa e inovadora ao menu. “Ryan Hacker mostrou liderança na cozinha e sua culinária é criativa, baseada em ingredientes e baseada nos gostos e sabores da cultura local”, afirma Ralph Brennan e Terry White.

Venha neste feriado, Ryan tem um presente em sua "lista de compras" que é pessoal, e é ver sua família reunida ao redor da mesa que ele agora preside no Brennan's em Nova Orleans.


Brennan e # 039s nomeiam Ryan Hacker como novo chef executivo

Como você respeita o passado e tem um pé no futuro? Este seria o desafio para a maioria dos chefs que enfrentam a nova posição como chef executivo no Brennan's, o restaurante luxuoso de Nova Orleans com 75 anos de idade, propriedade de Ralph Brennan e Terry White. Não neste caso, porém, como um membro valioso da equipe original e chef interino de seis meses, Ryan Hacker, recebe a distinta honra de assumir o papel. A partir desta semana, Hacker assume oficialmente o lugar de seu antigo mentor, Slade Rushing, que estava ao seu lado desde o início da reabertura de Brennan com grande espanto e alegria 5 anos atrás neste mês. Ao assumir esse papel aos 35 anos, Hacker se torna o chef mais jovem a comandar a cozinha e o primeiro a ser promovido internamente na Brennan's. O restaurante recebeu notas altas do The New Orleans Advocate, The New York Times e Wine Spectator (entre seus muitos outros elogios, como James Beard Foundation Award Finalist por cinco anos). Hacker está ciente da pressão e já está tomando medidas para elevar a culinária distinta e ambiciosa do restaurante, respeitando o legado estimado de Brennan.

Mudanças já haviam começado a chegar ao cardápio de Hacker durante seu mandato com Rushing, começando com uma versão inventiva de um dos pratos mais famosos de Nova Orleans, Blackened Redfish [um flashback de sua infância]. Agora é escaldado na manteiga com especiarias, cozido separadamente. Depois de preparar delicadamente a mistura de temperos, todo o peixe é revestido com ela e o sabor mantém o seu sabor pronunciado. Como a voz de confiança na cozinha nos últimos meses, a interpretação moderna de quenelles de Hacker, um clássico favorito dos franceses na cidade desde 1800, apresenta Quenelles de camarão com molho de churrasco New Orleans Style, Candied Lemon e Rosemary Dusted Crostini. “Não procuramos reinventar a roda quando se trata de pratos tradicionais e da culinária crioula, mas sim trocar seus pneus, atualizá-los e oferecer uma versão refinada que agrada nossos clientes locais em dívida com uma rica herança de Nova Orleans, como bem como sua próxima geração ”, diz Hacker.

Hacker começou a se interessar por cozinhar quando criança, crescendo em Tyler, Texas, vendo o livro de receitas de Paul Prudhomme no balcão da cozinha na casa de sua avó para os jantares de domingo. Além da refeição em si, sua família incutiu nele o respeito pelo ato de jantar e a importância de se reunir em torno da mesa como uma família.

Hacker passou alguns anos estudando administração na Texas Tech University, mas tinha um desejo ardente de sair de trás de uma mesa. Hacker passou a frequentar o New England Culinary Institute e conseguiu seu estágio de seis meses no Hamersley’s Bistro em Boston, MA, onde ele começou a perceber seu caminho culinário em jantares finos. De um jovem que passou assistindo sua família cultivar vegetais em um acre de seus cinco na zona rural do Texas, tudo se encaixou: os fundamentos do cultivo de produtos frescos são semelhantes às filosofias de um restaurante premiado. Mergulhando na comida acessível do Chef Gordon Hamersley, fontes inteligentes e uma cozinha construída em torno do ensino - Hacker estava efetivamente participando de um programa de pós-graduação. Em seguida, o hacker começou a trabalhar com Kent Rathbun em Dallas, Texas. O hacker aprendeu a lição valiosa de que todo prato conta uma história e apresenta uma noção de tempo e lugar. A cruzada para trabalhar com chefs de diversas origens e líderes em suas áreas o levou a trabalhar com Andrew Weissman na Osteria Il Sogno. Ele credita a Weissman por ser o chef mais respeitado e influente em sua carreira em crescimento. Sua direção esteve para sempre incorporada ao estilo de cozinha do Hacker - uma abordagem limpa e esteticamente agradável para o prato, enquanto persuadia os ingredientes para apresentar os sabores mais colaborativos.

Nova Orleans foi o último lugar onde Hacker pensou que pousaria, mas quando o chef Slade Rushing lhe ofereceu uma posição que foi um desafio, ele não pôde recusar. A pressa foi fundamental para o sucesso de uma cozinha que começa quando o desenvolvimento do menu é iniciado com uma conversa entre a equipe.

Hacker é a escolha principal para liderar o estimado grupo de chefs experientes no Brennan's, mantendo uma forte reverência pela tradição e uma determinação em manter a autenticidade de todos os aspectos do restaurante, enquanto integra uma abordagem criativa e inovadora ao menu. “Ryan Hacker mostrou liderança na cozinha e sua cozinha é criativa, baseada em ingredientes e baseada nos gostos e sabores da cultura local”, afirma Ralph Brennan e Terry White.

Venha neste feriado, Ryan tem um presente em sua "lista de compras" que é pessoal, e é ver sua família reunida ao redor da mesa que ele agora preside no Brennan's em Nova Orleans.


Brennan e # 039s nomeiam Ryan Hacker como novo chef executivo

Como você respeita o passado e tem um pé no futuro? Este seria o desafio para a maioria dos chefs que enfrentam a nova posição como chef executivo no Brennan's, o restaurante luxuoso de Nova Orleans com 75 anos de idade, de propriedade de Ralph Brennan e Terry White. Não neste caso, porém, como um membro valioso da equipe original e chef interino de seis meses, Ryan Hacker, recebe a distinta honra de assumir o papel. A partir desta semana, Hacker assume oficialmente o lugar de seu antigo mentor, Slade Rushing, que estava ao seu lado desde o início da reabertura de Brennan com grande espanto e alegria, 5 anos atrás neste mês. Ao assumir esse papel aos 35 anos, Hacker se torna o chef mais jovem a comandar a cozinha e o primeiro a ser promovido internamente na Brennan's. O restaurante recebeu notas altas do The New Orleans Advocate, The New York Times e Wine Spectator (entre seus muitos outros prêmios, como James Beard Foundation Award Finalist por cinco anos). Hacker está ciente da pressão e já está tomando medidas para elevar a culinária distinta e ambiciosa do restaurante, respeitando o legado estimado de Brennan.

Mudanças já haviam começado a chegar ao menu de Hacker durante sua gestão com Rushing, começando com uma versão criativa de um dos pratos mais famosos de Nova Orleans, Blackened Redfish [um flashback de sua infância]. Agora é escaldado na manteiga com especiarias, cozido separadamente. Depois de preparar delicadamente a mistura de temperos, todo o peixe é revestido com ela e o sabor mantém o seu sabor pronunciado. Como a voz de confiança na cozinha nos últimos meses, a interpretação moderna de quenelles de Hacker, um clássico favorito dos franceses na cidade desde 1800, apresenta Quenelles de camarão com molho de churrasco New Orleans Style, Candied Lemon e Rosemary Dusted Crostini. “Não procuramos reinventar a roda quando se trata de pratos tradicionais e da culinária crioula, mas sim trocar seus pneus, atualizá-los e oferecer uma versão refinada que agrada nossos clientes locais em dívida com uma rica herança de Nova Orleans, como bem como sua próxima geração ”, diz Hacker.

Hacker começou a se interessar por cozinhar quando criança, crescendo em Tyler, Texas, vendo o livro de receitas de Paul Prudhomme no balcão da cozinha na casa de sua avó para os jantares de domingo. Além da refeição em si, sua família incutiu nele o respeito pelo ato de jantar e a importância de se reunir em torno da mesa como uma família.

Hacker passou alguns anos estudando administração na Texas Tech University, mas tinha um desejo ardente de sair de trás de uma mesa. Hacker passou a frequentar o New England Culinary Institute e conseguiu seu estágio de seis meses no Hamersley’s Bistro em Boston, MA, onde começou a perceber seu caminho culinário em jantares finos. De um jovem que passou assistindo sua família cultivar vegetais em um acre de seus cinco na zona rural do Texas, tudo se encaixou: os fundamentos do cultivo de produtos frescos são semelhantes às filosofias de um restaurante premiado. Mergulhando na comida acessível do Chef Gordon Hamersley, fontes inteligentes e uma cozinha construída em torno do ensino - Hacker estava efetivamente participando de um programa de pós-graduação. Em seguida, o hacker começou a trabalhar com Kent Rathbun em Dallas, Texas. O hacker aprendeu a lição valiosa de que todo prato conta uma história e apresenta uma noção de tempo e lugar. A cruzada para trabalhar com chefs de diversas origens e líderes em suas áreas o levou a trabalhar com Andrew Weissman na Osteria Il Sogno. Ele credita a Weissman por ser o chef mais respeitado e influente em sua carreira em crescimento. Sua direção esteve para sempre incorporada ao estilo de cozinha do Hacker - uma abordagem limpa e esteticamente agradável para o prato, enquanto persuadia os ingredientes para apresentar os sabores mais colaborativos.

Nova Orleans foi o último lugar onde Hacker pensou que pousaria, mas quando o chef Slade Rushing lhe ofereceu uma posição que foi um desafio, ele não pôde recusar. A pressa foi fundamental para o funcionamento de uma cozinha de sucesso que começa quando o desenvolvimento do menu é iniciado com uma conversa entre a equipe.

Hacker é a escolha principal para liderar o estimado grupo de chefs experientes no Brennan's, mantendo uma forte reverência pela tradição e uma determinação em manter a autenticidade de todos os aspectos do restaurante, enquanto integra uma abordagem criativa e inovadora ao menu. “Ryan Hacker mostrou liderança na cozinha e sua culinária é criativa, baseada em ingredientes e baseada nos gostos e sabores da cultura local”, afirma Ralph Brennan e Terry White.

Venha neste feriado, Ryan tem um presente em sua "lista de compras" que é pessoal, e é ver sua família reunida em torno da mesa que ele agora preside no Brennan's em Nova Orleans.


Brennan e # 039s nomeiam Ryan Hacker como novo chef executivo

Como você respeita o passado e tem um pé no futuro? Este seria o desafio para a maioria dos chefs que enfrentam a nova posição como chef executivo no Brennan's, o restaurante luxuoso de Nova Orleans com 75 anos de idade, propriedade de Ralph Brennan e Terry White. Não neste caso, porém, como membro valioso da equipe original e chef interino de seis meses, Ryan Hacker, recebe a distinta honra de assumir o papel. A partir desta semana, Hacker assume oficialmente o lugar de seu antigo mentor, Slade Rushing, que estava ao seu lado desde o início da reabertura de Brennan com grande espanto e alegria, 5 anos atrás neste mês. Ao assumir esse papel aos 35 anos, Hacker se torna o chef mais jovem a comandar a cozinha e o primeiro a ser promovido internamente na Brennan's. O restaurante tem notas altas do The New Orleans Advocate, The New York Times e Wine Spectator (entre seus muitos outros elogios, como James Beard Foundation Award Finalist por cinco anos). Hacker está ciente da pressão e já está tomando medidas para elevar a culinária distinta e ambiciosa do restaurante, respeitando o legado estimado de Brennan.

Mudanças já haviam começado a chegar ao menu de Hacker durante sua gestão com Rushing, começando com uma versão criativa de um dos pratos mais famosos de Nova Orleans, Blackened Redfish [um flashback de sua infância]. Agora é escaldado na manteiga com especiarias, cozido separadamente. Depois de preparar delicadamente a mistura de temperos, todo o peixe é revestido com ela e o sabor mantém o seu sabor pronunciado. Como a voz de confiança na cozinha nos últimos meses, a interpretação moderna de quenelles de Hacker, um clássico francês na cidade desde 1800, apresenta Quenelles de camarão com molho de churrasco New Orleans Style, Candied Lemon e Rosemary Dusted Crostini. “Não procuramos reinventar a roda quando se trata de pratos tradicionais e da culinária crioula, mas sim trocar seus pneus, atualizá-los e oferecer uma versão refinada que agrada nossos comensais locais em dívida com uma rica herança de Nova Orleans, como bem como sua próxima geração ”, diz Hacker.

Hacker começou a se interessar por cozinhar quando criança em Tyler, Texas, vendo o livro de receitas de Paul Prudhomme no balcão da cozinha na casa de sua avó para os jantares de domingo. Além da refeição em si, sua família incutiu nele o respeito pelo ato de jantar e a importância de se reunir em torno da mesa como uma família.

Hacker passou alguns anos estudando administração na Texas Tech University, mas tinha um desejo ardente de sair de trás de uma mesa. Hacker passou a frequentar o New England Culinary Institute e conseguiu seu estágio de seis meses no Hamersley’s Bistro em Boston, MA, onde começou a perceber sua trajetória culinária em jantares finos. De um jovem que passou assistindo sua família cultivar vegetais em um acre de seus cinco na zona rural do Texas, tudo se encaixou: os fundamentos do cultivo de produtos frescos são semelhantes às filosofias de um restaurante premiado. Mergulhando na comida acessível do Chef Gordon Hamersley, fontes inteligentes e uma cozinha construída em torno do ensino - Hacker estava efetivamente participando de um programa de pós-graduação. Em seguida, o hacker começou a trabalhar com Kent Rathbun em Dallas, Texas. O hacker aprendeu a lição valiosa de que todo prato conta uma história e apresenta uma noção de tempo e lugar. A cruzada para trabalhar com chefs de diversas origens e líderes em suas áreas o levou a trabalhar com Andrew Weissman na Osteria Il Sogno. Ele credita a Weissman por ser o chef mais respeitado e influente em sua carreira em crescimento. Sua direção esteve para sempre incorporada ao estilo de cozinha do Hacker - uma abordagem limpa e esteticamente agradável do prato, enquanto persuadia os ingredientes para apresentar os sabores mais colaborativos.

Nova Orleans foi o último lugar onde Hacker pensou que pousaria, mas quando o chef Slade Rushing lhe ofereceu uma posição que foi um desafio, ele não pôde recusar. A pressa foi fundamental para o funcionamento de uma cozinha de sucesso que começa quando o desenvolvimento do menu é iniciado com uma conversa entre a equipe.

Hacker is the primary choice to lead the esteemed group of experienced chefs at Brennan’s, holding a strong reverence for the tradition and a determination to maintain the authenticity of all aspects of the restaurant, while integrating a creative and innovative approach to the menu. “Ryan Hacker showed leadership in the kitchen and his cuisine is imaginative, ingredient based, and builds on the tastes and flavors of the local culture,” says Ralph Brennan and Terry White.

Come this holiday, Ryan has one gift on his “shopping list” that’s personal, and it is seeing his family gathered around the table he now presides over at Brennan’s in New Orleans.


Brennan's Names Ryan Hacker New Executive Chef

How do you respect the past and have one foot in the future? This would be the challenge for most chefs facing the new position as executive chef at Brennan’s, the 75-year-old, much-lauded luxury New Orleans restaurant owned by Ralph Brennan and Terry White. Not in this case though, as a valued member of the original team and interim lead chef of six months, Ryan Hacker, gets the distinguished honor to take on the role. As of this week, Hacker officially takes over from his former mentor, Slade Rushing, who was by his side from the very beginning of Brennan’s reopening to much amazement and delight 5 years ago this month. In stepping into this role at age 35, Hacker becomes the youngest chef to helm the kitchen and the first to be promoted from within at Brennan’s. The restaurant holds high marks from The New Orleans Advocate, The New York Times, and Wine Spectator (among its many other accolades such as James Beard Foundation Award Finalist for five years). Hacker is aware of the pressure and has already been making moves to elevate the restaurant’s distinctive and ambitious cuisine while respecting Brennan’s esteemed legacy.

Changes had already begun to arrive on the menu by Hacker during his tenure with Rushing, starting with an inventive rendition to one of New Orleans’ most famous dishes, Blackened Redfish [a flashback to his childhood]. It is now poached in butter with spices, cooked separately. After delicately preparing the spice mixture, the entire fish is coated with it and the taste maintains its pronounced flavor. As the trusted voice in the kitchen these past few months, Hacker’s modern interpretation of quenelles, a classic French favorite in the city since the 1800s, features Shrimp Quenelles with New Orleans Style BBQ Sauce, Candied Lemon, and Rosemary Dusted Crostini. “We aren’t so much looking to reinvent the wheel when it comes to traditional dishes and Creole cuisine, but rather change its tires, refresh it, and offer a refined version that pleases our local diners beholden to a rich New Orleans heritage, as well as its next generation,” says Hacker.

Hacker first became interested in cooking as a kid growing up in Tyler, Texas seeing Paul Prudhomme’s cookbook on the kitchen counter at his grandmother’s house for Sunday suppers. Beyond the meal itself, his family instilled in him a respect for the act of dining and the importance of gathering around the table as a family.

Hacker spent a few years studying business at Texas Tech University, but he had a burning desire to get out from behind a desk. Hacker went on to attend the New England Culinary Institute and landed his six-month internship at Hamersley’s Bistro in Boston, MA, where he began to realize his culinary path in fine dining. From a youth spent watching his family grow vegetables on one acre of their five in rural Texas, it all clicked: the fundamentals of cultivating fresh produce are akin to the philosophies of an award-winning restaurant. Immersing himself in Chef Gordon Hamersley’s approachable food, smart sourcing, and a kitchen built around teaching - Hacker was effectively attending a graduate program. Hacker next set out to work with Kent Rathbun in Dallas, Texas. Hacker learned the valuable lesson that every dish tells a story and presents a sense of time and place. The crusade to work with chefs who have diverse backgrounds and are top in their field brought him to work with Andrew Weissman at Osteria Il Sogno. He credits Weissman for being the most respected and influential chef in his growing career. His direction was forever embedded in Hacker’s cooking style - a clean, aesthetically pleasing approach to the plate, while coaxing ingredients to present the most collaborative flavors.

New Orleans was the last place Hacker thought he would land, but when chef Slade Rushing offered him a position that was a challenge he could not refuse. Rushing was instrumental in running a successful kitchen that begins when menu development is initiated with a conversation amongst the team.

Hacker is the primary choice to lead the esteemed group of experienced chefs at Brennan’s, holding a strong reverence for the tradition and a determination to maintain the authenticity of all aspects of the restaurant, while integrating a creative and innovative approach to the menu. “Ryan Hacker showed leadership in the kitchen and his cuisine is imaginative, ingredient based, and builds on the tastes and flavors of the local culture,” says Ralph Brennan and Terry White.

Come this holiday, Ryan has one gift on his “shopping list” that’s personal, and it is seeing his family gathered around the table he now presides over at Brennan’s in New Orleans.


Brennan's Names Ryan Hacker New Executive Chef

How do you respect the past and have one foot in the future? This would be the challenge for most chefs facing the new position as executive chef at Brennan’s, the 75-year-old, much-lauded luxury New Orleans restaurant owned by Ralph Brennan and Terry White. Not in this case though, as a valued member of the original team and interim lead chef of six months, Ryan Hacker, gets the distinguished honor to take on the role. As of this week, Hacker officially takes over from his former mentor, Slade Rushing, who was by his side from the very beginning of Brennan’s reopening to much amazement and delight 5 years ago this month. In stepping into this role at age 35, Hacker becomes the youngest chef to helm the kitchen and the first to be promoted from within at Brennan’s. The restaurant holds high marks from The New Orleans Advocate, The New York Times, and Wine Spectator (among its many other accolades such as James Beard Foundation Award Finalist for five years). Hacker is aware of the pressure and has already been making moves to elevate the restaurant’s distinctive and ambitious cuisine while respecting Brennan’s esteemed legacy.

Changes had already begun to arrive on the menu by Hacker during his tenure with Rushing, starting with an inventive rendition to one of New Orleans’ most famous dishes, Blackened Redfish [a flashback to his childhood]. It is now poached in butter with spices, cooked separately. After delicately preparing the spice mixture, the entire fish is coated with it and the taste maintains its pronounced flavor. As the trusted voice in the kitchen these past few months, Hacker’s modern interpretation of quenelles, a classic French favorite in the city since the 1800s, features Shrimp Quenelles with New Orleans Style BBQ Sauce, Candied Lemon, and Rosemary Dusted Crostini. “We aren’t so much looking to reinvent the wheel when it comes to traditional dishes and Creole cuisine, but rather change its tires, refresh it, and offer a refined version that pleases our local diners beholden to a rich New Orleans heritage, as well as its next generation,” says Hacker.

Hacker first became interested in cooking as a kid growing up in Tyler, Texas seeing Paul Prudhomme’s cookbook on the kitchen counter at his grandmother’s house for Sunday suppers. Beyond the meal itself, his family instilled in him a respect for the act of dining and the importance of gathering around the table as a family.

Hacker spent a few years studying business at Texas Tech University, but he had a burning desire to get out from behind a desk. Hacker went on to attend the New England Culinary Institute and landed his six-month internship at Hamersley’s Bistro in Boston, MA, where he began to realize his culinary path in fine dining. From a youth spent watching his family grow vegetables on one acre of their five in rural Texas, it all clicked: the fundamentals of cultivating fresh produce are akin to the philosophies of an award-winning restaurant. Immersing himself in Chef Gordon Hamersley’s approachable food, smart sourcing, and a kitchen built around teaching - Hacker was effectively attending a graduate program. Hacker next set out to work with Kent Rathbun in Dallas, Texas. Hacker learned the valuable lesson that every dish tells a story and presents a sense of time and place. The crusade to work with chefs who have diverse backgrounds and are top in their field brought him to work with Andrew Weissman at Osteria Il Sogno. He credits Weissman for being the most respected and influential chef in his growing career. His direction was forever embedded in Hacker’s cooking style - a clean, aesthetically pleasing approach to the plate, while coaxing ingredients to present the most collaborative flavors.

New Orleans was the last place Hacker thought he would land, but when chef Slade Rushing offered him a position that was a challenge he could not refuse. Rushing was instrumental in running a successful kitchen that begins when menu development is initiated with a conversation amongst the team.

Hacker is the primary choice to lead the esteemed group of experienced chefs at Brennan’s, holding a strong reverence for the tradition and a determination to maintain the authenticity of all aspects of the restaurant, while integrating a creative and innovative approach to the menu. “Ryan Hacker showed leadership in the kitchen and his cuisine is imaginative, ingredient based, and builds on the tastes and flavors of the local culture,” says Ralph Brennan and Terry White.

Come this holiday, Ryan has one gift on his “shopping list” that’s personal, and it is seeing his family gathered around the table he now presides over at Brennan’s in New Orleans.


Brennan's Names Ryan Hacker New Executive Chef

How do you respect the past and have one foot in the future? This would be the challenge for most chefs facing the new position as executive chef at Brennan’s, the 75-year-old, much-lauded luxury New Orleans restaurant owned by Ralph Brennan and Terry White. Not in this case though, as a valued member of the original team and interim lead chef of six months, Ryan Hacker, gets the distinguished honor to take on the role. As of this week, Hacker officially takes over from his former mentor, Slade Rushing, who was by his side from the very beginning of Brennan’s reopening to much amazement and delight 5 years ago this month. In stepping into this role at age 35, Hacker becomes the youngest chef to helm the kitchen and the first to be promoted from within at Brennan’s. The restaurant holds high marks from The New Orleans Advocate, The New York Times, and Wine Spectator (among its many other accolades such as James Beard Foundation Award Finalist for five years). Hacker is aware of the pressure and has already been making moves to elevate the restaurant’s distinctive and ambitious cuisine while respecting Brennan’s esteemed legacy.

Changes had already begun to arrive on the menu by Hacker during his tenure with Rushing, starting with an inventive rendition to one of New Orleans’ most famous dishes, Blackened Redfish [a flashback to his childhood]. It is now poached in butter with spices, cooked separately. After delicately preparing the spice mixture, the entire fish is coated with it and the taste maintains its pronounced flavor. As the trusted voice in the kitchen these past few months, Hacker’s modern interpretation of quenelles, a classic French favorite in the city since the 1800s, features Shrimp Quenelles with New Orleans Style BBQ Sauce, Candied Lemon, and Rosemary Dusted Crostini. “We aren’t so much looking to reinvent the wheel when it comes to traditional dishes and Creole cuisine, but rather change its tires, refresh it, and offer a refined version that pleases our local diners beholden to a rich New Orleans heritage, as well as its next generation,” says Hacker.

Hacker first became interested in cooking as a kid growing up in Tyler, Texas seeing Paul Prudhomme’s cookbook on the kitchen counter at his grandmother’s house for Sunday suppers. Beyond the meal itself, his family instilled in him a respect for the act of dining and the importance of gathering around the table as a family.

Hacker spent a few years studying business at Texas Tech University, but he had a burning desire to get out from behind a desk. Hacker went on to attend the New England Culinary Institute and landed his six-month internship at Hamersley’s Bistro in Boston, MA, where he began to realize his culinary path in fine dining. From a youth spent watching his family grow vegetables on one acre of their five in rural Texas, it all clicked: the fundamentals of cultivating fresh produce are akin to the philosophies of an award-winning restaurant. Immersing himself in Chef Gordon Hamersley’s approachable food, smart sourcing, and a kitchen built around teaching - Hacker was effectively attending a graduate program. Hacker next set out to work with Kent Rathbun in Dallas, Texas. Hacker learned the valuable lesson that every dish tells a story and presents a sense of time and place. The crusade to work with chefs who have diverse backgrounds and are top in their field brought him to work with Andrew Weissman at Osteria Il Sogno. He credits Weissman for being the most respected and influential chef in his growing career. His direction was forever embedded in Hacker’s cooking style - a clean, aesthetically pleasing approach to the plate, while coaxing ingredients to present the most collaborative flavors.

New Orleans was the last place Hacker thought he would land, but when chef Slade Rushing offered him a position that was a challenge he could not refuse. Rushing was instrumental in running a successful kitchen that begins when menu development is initiated with a conversation amongst the team.

Hacker is the primary choice to lead the esteemed group of experienced chefs at Brennan’s, holding a strong reverence for the tradition and a determination to maintain the authenticity of all aspects of the restaurant, while integrating a creative and innovative approach to the menu. “Ryan Hacker showed leadership in the kitchen and his cuisine is imaginative, ingredient based, and builds on the tastes and flavors of the local culture,” says Ralph Brennan and Terry White.

Come this holiday, Ryan has one gift on his “shopping list” that’s personal, and it is seeing his family gathered around the table he now presides over at Brennan’s in New Orleans.


Brennan's Names Ryan Hacker New Executive Chef

How do you respect the past and have one foot in the future? This would be the challenge for most chefs facing the new position as executive chef at Brennan’s, the 75-year-old, much-lauded luxury New Orleans restaurant owned by Ralph Brennan and Terry White. Not in this case though, as a valued member of the original team and interim lead chef of six months, Ryan Hacker, gets the distinguished honor to take on the role. As of this week, Hacker officially takes over from his former mentor, Slade Rushing, who was by his side from the very beginning of Brennan’s reopening to much amazement and delight 5 years ago this month. In stepping into this role at age 35, Hacker becomes the youngest chef to helm the kitchen and the first to be promoted from within at Brennan’s. The restaurant holds high marks from The New Orleans Advocate, The New York Times, and Wine Spectator (among its many other accolades such as James Beard Foundation Award Finalist for five years). Hacker is aware of the pressure and has already been making moves to elevate the restaurant’s distinctive and ambitious cuisine while respecting Brennan’s esteemed legacy.

Changes had already begun to arrive on the menu by Hacker during his tenure with Rushing, starting with an inventive rendition to one of New Orleans’ most famous dishes, Blackened Redfish [a flashback to his childhood]. It is now poached in butter with spices, cooked separately. After delicately preparing the spice mixture, the entire fish is coated with it and the taste maintains its pronounced flavor. As the trusted voice in the kitchen these past few months, Hacker’s modern interpretation of quenelles, a classic French favorite in the city since the 1800s, features Shrimp Quenelles with New Orleans Style BBQ Sauce, Candied Lemon, and Rosemary Dusted Crostini. “We aren’t so much looking to reinvent the wheel when it comes to traditional dishes and Creole cuisine, but rather change its tires, refresh it, and offer a refined version that pleases our local diners beholden to a rich New Orleans heritage, as well as its next generation,” says Hacker.

Hacker first became interested in cooking as a kid growing up in Tyler, Texas seeing Paul Prudhomme’s cookbook on the kitchen counter at his grandmother’s house for Sunday suppers. Beyond the meal itself, his family instilled in him a respect for the act of dining and the importance of gathering around the table as a family.

Hacker spent a few years studying business at Texas Tech University, but he had a burning desire to get out from behind a desk. Hacker went on to attend the New England Culinary Institute and landed his six-month internship at Hamersley’s Bistro in Boston, MA, where he began to realize his culinary path in fine dining. From a youth spent watching his family grow vegetables on one acre of their five in rural Texas, it all clicked: the fundamentals of cultivating fresh produce are akin to the philosophies of an award-winning restaurant. Immersing himself in Chef Gordon Hamersley’s approachable food, smart sourcing, and a kitchen built around teaching - Hacker was effectively attending a graduate program. Hacker next set out to work with Kent Rathbun in Dallas, Texas. Hacker learned the valuable lesson that every dish tells a story and presents a sense of time and place. The crusade to work with chefs who have diverse backgrounds and are top in their field brought him to work with Andrew Weissman at Osteria Il Sogno. He credits Weissman for being the most respected and influential chef in his growing career. His direction was forever embedded in Hacker’s cooking style - a clean, aesthetically pleasing approach to the plate, while coaxing ingredients to present the most collaborative flavors.

New Orleans was the last place Hacker thought he would land, but when chef Slade Rushing offered him a position that was a challenge he could not refuse. Rushing was instrumental in running a successful kitchen that begins when menu development is initiated with a conversation amongst the team.

Hacker is the primary choice to lead the esteemed group of experienced chefs at Brennan’s, holding a strong reverence for the tradition and a determination to maintain the authenticity of all aspects of the restaurant, while integrating a creative and innovative approach to the menu. “Ryan Hacker showed leadership in the kitchen and his cuisine is imaginative, ingredient based, and builds on the tastes and flavors of the local culture,” says Ralph Brennan and Terry White.

Come this holiday, Ryan has one gift on his “shopping list” that’s personal, and it is seeing his family gathered around the table he now presides over at Brennan’s in New Orleans.


Assista o vídeo: Restaurante, gastronomia, marmitex, Presidente Prudente (Dezembro 2021).